Receita de viver

Recebi este texto da minha amiga Luciana e trouxe para o blog para ficar registrado.

Adorei o texto!

beijocas!

Receita de viver, por Carlinhos Oliveira

Para viver bem é preciso chegar aos 30 anos com a satisfação de se ter permitido todas as loucuras imagináveis na juventude. E só freqüentar os amigos que suportam os nossos defeitos.

Recomenda-se também uma boa gargalhada, à sós, no momento de se erguer da cama: “Quanta bobagem tenho feito neste mundo! Quá, quá, quá!” A serenidade imperturbável conduz ao fanatismo, e este dá câncer.

Nenhuma preocupação burguesa ou pequeno-burguesa, como por exemplo o medo de perder o emprego ou os bens; nenhuma ambição material, fora as indispensáveis (casa, comida, roupa lavada), ou então que seja gratuita: juntar dinheiro para algum dia comprar um iate ou passar dois anos zanzando pela Europa.

Nunca ferir uma mulher a ponto de fazer-se odiado por ela. O homem inteligente é o que sabe transformar antigos amores em sólidas amizades.

Estar sempre em condições morais de perder tudo e começar tudo outra vez. Interessar-se por tudo, principalmente por aquilo que não nos diz respeito. Amar apenas uma mulher de cada vez. Dizer sempre a verdade, seja qual for e doa a quem doer. Conhecer um por um os nossos defeitos, curar-se dos que não são naturais e cultivar aqueles que mais nos agradam.

Evitar ao máximo o paletó e a gravata, os chatos que falam no ouvido, as mulheres que resolvem tudo pelo telefone, os bêbados que mudam de personalidade quando lúcidos, os vizinhos muito prestativos e todo papo do qual participem mais de três pessoas.

Longa caminhada solitária pelo menos uma vez por semana. Não discutir preços — é melhor ir embora sem comprar. Não guardar ódios a ninguém. Dormir oito horas e, acordando, continuar na cama enquanto puder. Recusar-se terminantemente a beber uísque que não seja escocês legítimo, preferindo a cachaça como alternativa. (Isto vale apenas para quem gosta de beber e bebe freqüentemente, como é o caso do autor dessa receita. Neste caso, a aceitação de qualquer bebida é moralmente inquietante, pois atravessa a fronteira que separa o prazer do vício.)

Ser condescendente com o comportamento sexual dos outros. Tentar compreender cada pessoa, evitando julgá-la. Saber exatamente o momento em que os amigos gostariam de estar sós. Ter caráter bastante para reconhecer as qualidades positivas de um eventual inimigo. Treinar, como quem faz ginástica, para ser sinceramente modesto. Saber contar com irreverência histórias em que faz papel de bobo, e que tenham acontecido realmente.

Viver tão intensamente que possa dizer à morte, quando vier: “Já veio tarde.”

Anúncios

qual é a sua paixão?

Segundo o dicionário Michaelis da Língua Porguesa:

paixão1
pai.xão1
sf (lat passione) 1 Sentimento forte, como o amor, o ódio etc. 2 Movimento impetuoso da alma para o bem ou para o mal. 3 Mais comumente paixão designa amor, atração de um sexo pelo outro. 4 Gosto muito vivo, acentuada predileção por alguma coisa. 5 A coisa, o objeto dessa predileção. 6 Parcialidade, prevenção pró ou contra alguma coisa. 7 Desgosto, mágoa, sofrimento prolongado. 8 Os tormentos padecidos por Cristo ou pelos mártires.

E eu pergunto, qual é a sua paixão? Não falo de paixão por um semelhante, um amor profundo, mas o outro tipo de paixão.

As grandes paixões que temos na vida, aquelas paixões com P maiúsculo e que carregamos por todo o sempre, faça chuva ou faça sol. Aquelas paixões que nos fazem flutuar, que aquecem o coração, seja um esporte ou o time do coração, lugares e coisas. As paixões que tornam os nossos dias mais iluminados, que dão sentido para a vida, nos movem daqui pra lá ou de lá pra cá, tudo aquilo que movimenta o nosso mundo!

Ao longo dos anos eu percebi que tenho uma coleção de paixões. Algumas mais evidentes e importantes, outras menores mas nem tão desimportantes assim… penso até que nem caberia citá-las aqui, pois são tantas!

Os livros tão companheiros em todas as horas e momentos, a música, o cinema, a arte!

Viagens por lugares incríveis e tão comuns, a sua história e sua cultura.

A dança… ah a dança, paixão antiga esta…

Mas uma delas tem mexido muito comigo atualmente e esta é a paixão que move o meu mundo hoje… a paixão por ensinar!

Já a algum tempo que esta paixão vem dominando os meus pensamentos e se tornando um desejo, mas era algo que eu imaginava que não seria possível. Pois quando se pensa em ‘ensinar’, pensa-se logo em uma escola, uma sala de aula cheia de alunos. E que esta coisa toda não é possível sem toda esta parte. Ledo engano!

O dom de ensinar está dentro do coração! E não importa onde e como, este dom é mais forte, é mais intenso, é insistente e teimoso. Não dá pra trancar lá dentro do peito.

Portanto está mais do que na hora de assumir esta grande paixão.

Assim que for possível, falarei mais a respeito… por enquanto é só que posso dizer agora. Eu assumo esta paixão e este dom no meu coração. Eu assumo que lecionar é algo que me dá um imenso prazer e move o meu mundo pra frente, sempre em frente!

Trilha sonora de hoje:

Here Without You | 3 Doors Down

Anywhere | Evanescence

All of My Life | Phil Collins

Can’t Stop Loving You | Phil Collins

Rain | Madonna

beijocas e até breve!

Dicas de organização

Torne a sua segunda-feira mais produtiva!

Muitas pessoas acreditam que a organização é algo que vem de berço e se você não teve o privilégio de nascer organizado, estará condenado a viver o resto da vida estressado pela falta de organização.

Há pessoas mais organizadas e outras nem tanto, mas não é verdade que o desorganizado não pode aprender a organizar-se. Quando se fala em organização, devemos lembrar que não existem receitas infalíveis, mas o desenvolvimento de um método adequado e a adaptação deste método para a vida de cada um.

A organização é um conjunto de hábitos e métodos, que podem melhorar muito a vida profissional e pessoal de cada pessoa.

Eu não sou a pessoa mais organizada do mundo, mas tenho as minhas neuroses e faço listas e mais listas. E é nessas listas que vou focar este assunto.

Normalmente eu faço a lista para a semana e separo as tarefas por dia. Nestas listas eu coloco exatamente tudo o que preciso fazer, incluindo feira, mercado, dentista, organização doméstica e etc. Assim que a tarefa é concluída, risco com um marca texto.

Planejar a semana dá uma idéia rápida de como as coisas vão acontecer. E eu gosto de responder a estas perguntas para preparar a lista da semana e me organizar de forma prática:

– Que compromissos eu tenho para esta semana?

– Que projetos eu preciso terminar?

– Que projetos eu preciso iniciar e qual a sua prioridade?

– Quando eu produzo mais? E quando eu produzo menos?

E dentro dessas perguntas eu faço a organização, por exemplo:

– listo os compromissos da semana com suas respectivas datas e horários e coloco na lista como prioridades.

– listo os projetos dos quais já foram iniciados e precisam ser terminados naquela semana

– listo os projetos dos quais eu preciso iniciar, mas não os coloco como prioridade. Realizo apenas se conclui os ítens anteriores.

– eu produzo melhor na parte da tarde e não produzo quase nada na parte da manhã, então a parte da manhã é muito melhor para as tarefas domésticas e a parte da tarde para as tarefas fora de casa.

A lista de tarefas pode ser dividida entre Urgentes e Importantes. O que é urgente precisa ser concluído ainda naquele dia ou naquela semana e as Importantes eu coloco um prazo para serem iniciadas e concluídas.

É importante deixar essa lista de tarefas sempre a vista! Após iniciar uma tarefa, por mais desagradável que seja, vá até o fim. E não se esqueça de marcar as tarefas já concluídas.

Outra coisa muito importante é listar apenas 3 tarefas urgentes para o dia. E por que isso? Simplesmente porque estas tarefas precisam ser concluídas a qualquer preço! Haja o que houver! Mais do que 3 tarefas sobrecarrega o dia e torna-se psicológicamente inviável a conclusão. Trazendo angústia e insatisfação.

Este formato de organização diária funciona muito bem pra mim, encontre o seu método e torne o seu dia mais produtivo! 😉

bjks!

música de hoje: Depois da Meia Noite | Capital Inicial

Corrida e Caminhada contra o Câncer de Mama

Domingo, dia 15 de agosto de 2010. Data para ficar registrada! Foi o dia da 15º Corrida e Caminhada contra o Câncer de Mama.

A corrida e caminhada contra o câncer de mama foi criada em 1999 pelo Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC).

O evento faz parte do calendário de milhares de pessoas, que ano após ano lutam pela conscientização sobre a doença e a importância da realização do auto-exame de mama para a detecção precoce do câncer.

Neste ano eu tive o prazer imenso de participar! Fiz a caminhada de 5k junto com a minha irmã linda, a Cá e com a minha querida amiga Dê [@deumlauf] que está iniciando agora e vencendo também as crises de asma. O Rô, meu grande companheiro e incentivador participou da corrida de 5k.

O dia amanheceu frio e com garoa na cidade de São Paulo, mas logo cedo os arredores do Parque do Ibirapuera estavam tomados pelos corredores que iniciavam o alongamento e aquecimento.

Foi emocionante ver aquele monte de gente reunida por uma causa tão boa. Ao final, na premiação dos vencedores, alguns ‘globais’ apareceram por lá. Na foto, Eriberto Leão sendo entrevistado. Uma pena que não dava pra chegar mais perto! rsrsrsrs

bjks!

música de hoje: Bad Romance com Banda Gloria

[sem título – agosto/2010]

Paisagem

Luiza Possi

Composição: Luiza Possi / Dudu Falcão

De longe na paisagem tudo é tão perfeito
Tudo é tão normal
De perto toda coisa linda mostra algum defeito
E eu me sinto igual

Eu e você descobrimos a pólvora
A diferença nos faz tão bem
Somos os mesmos há milhões de anos
Amantes, errantes, humanos!

Eu guardo as lembranças em fotografias
Tudo é de papel

Se eu já soubesse antes, eu te contaria
Sonhos de aluguel

Eu e você já moramos no mesmo céu
Nossas estrelas combinam…
Fomos os mesmos até hoje de manhã
Seus olhos de mar me fascinam…

E agora me conta o que aconteceu
Que eu ando encostando meus sonhos nos seus…

Eu guardo as lembranças em fotografias
Tudo é de papel
Se eu já soubesse antes, eu te contaria
Sonhos de aluguel

Eu e você já moramos no mesmo céu
Nossas estrelas combinam…
Fomos os mesmos até hoje de manhã
Seus olhos de mar me fascinam…

E agora me conta o que aconteceu
Que eu ando encostando meus sonhos nos seus…

Paisagem | Luiza Possi

Deficiências

DEFICIÊNCIAS, Mario Quintana

“Deficiente” é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
“Louco” é quem não procura ser feliz com o que possui.
“Cego” é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
“Surdo” é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
“Mudo” é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
“Paralítico” é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
“Diabético” é quem não consegue ser doce.
“Anão” é quem não sabe deixar o amor crescer.
E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
“Miseráveis” são todos que não conseguem falar com Deus.

“A amizade é um amor que nunca morre.”

————————–

Música? Alice Cooper | It’s the little things

sobre o scrapbooking artesanal

Fazer scrapbooking é um prazer, uma diversão, uma verdadeira paixão!

Eu descobri a arte do scrapbooking em 2004, logo depois que mudamos para Belo Horizonte. Era algo pouco conhecido na época e a dificuldade para encontrar os materiais adequados era grande. Com algumas adaptações e muita paciência, eu fui desenvolvendo as minhas primeiras páginas. Na verdade eram mais exercícios de criatividade e técnica do que páginas de scrapbooking! [risos]

Um tempo depois eu comecei a dar aulas, passei quase 3 anos da minha vida fazendo isso. As páginas criadas eram todas voltadas para essas aulas. Com muitas técnicas e estudo de cores, temas relativamente genéricos e quase que sem nenhum sentimento ou lembrança. O prazer da coisa foi se perdendo e a vontade de fazer scrap acabou. Então resolvi dar um tempo e me dediquei muito mais ao scrapbooking digital. Minhas páginas passaram a ser todas digitais. Mas de repente tudo perdeu o sentido para mim… eu fazia páginas por fazer. Entrei em alguns Creative Teams e fazia scrapbooking por obrigação. Mais uma vez caí na mesmice e a vontade do scrap digital também acabou.

Foi aí que eu parei pra pensar sobre este assunto e me dei conta de que eu não preciso fazer nada por obrigação. Deletei tudo o que eu havia feito apenas para cumprir prazos, joguei fora todas as páginas artesanais que também fiz apenas para cumprir projetos de aulas. Resgatei apenas as fotografias e algum material que poderia ser aproveitado em alguma outra página e me libertei definitivamente da obrigação. Atualmente eu faço scrapbooking porque quero e quando quero!

Participo de alguns fóruns sobre o assunto, mas também sem obrigação nenhuma. Entro nas atividades propostas e cumpro com seus prazos, mas apenas faço isso porque quero e porque gosto.

Com isto eu tenho sentido muito mais vontade ao criar uma página de scrapbooking. Agora esses layouts fazem todo o sentido para mim e são guardados com todo o carinho em meus álbuns, sem regras e nem objetivos. Meus álbuns não seguem ordem cronológica e são páginas aleatórias de momentos únicos que pretendo preservar. E é isso.

Música? Next Year | Foo Fighters

Loucura?

“aqui não existem loucos,existem pessoas que não aguentaram a loucura do mundo lá fora”

Ontem o programa “A Liga” da Band teve como tema o “transtorno mental”.

Como é comum neste programa, as matérias são feitas para alertar a população sobre vários problemas reais e costumes na sociedade.

Este tema é polêmico e eu acho complicado discutir sobre o assunto, mas deixo aqui a minha opinião: enquanto não tratarem essas pessoas com o devido respeito e dignidade, o mundo continuará ‘louco’. Porque loucos somos nós… certo?

E então que durante o programa foi perguntado à psiquiatra de um hospital no interior de SP, se ela acreditava na loucura e ela respondeu apenas com a resposta de um dos internos do hospital: “aqui não existem loucos,existem pessoas que não aguentaram a loucura do mundo lá fora”. O que ao meu ver, resume tudo e não precisa de complementos.

Hoje é só!

bjks e até mais.

Música? Maluco Beleza | Raul Seixas (toca Rauuuulll)